FANDOM



Chapeleiro Louco

Chapeleiro

MadHatterBio

El-sombrerero (1)1

Informações Biográficas
Nome Verdadeiro Jervis Tetch
Ocupação Criminoso profissional
Fica em Gotham City
Afiliações Hugo Strange
Descrição Física
Cor dos Cabelos Ruivos
Cor dos Olhos Azuis
Altura 1,50 m
Peso 52 kg
Informações de Jogo
Aparece em Batman: Arkham Origins
Batman: Arkham City
Batman: Arkham Knight
Dublador Peter MacNicol
Primeira Aparição Batman #49 (Novembro de 1948)

Obcecado desde jovem com o livro Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, Jervis Tetch, exímio hipnotizador, adotou a ilusão de ser a encarnação do personagem Chapeleiro Louco.

Usando suas habilidades de hipnose, o Chapeleiro Louco cometeu vários crimes, geralmente com temática baseada no livro que o inspirou e no seu amor por chapéus e seus similares, ao ponto de implantar chips de controle mental em chapéus para amplificar seu poder.

Porém, acima de qualquer chapéu, ele deseja o capuz característico do Batman, e não vai se deter por nada para consegui-lo.

Relatório de incidentesEditar

Antes de Arkham OriginsEditar

Jervis Tetch era originalmente um cientista que propunha que não existia o livre-arbítrio e que a mente podia ser controlada pelo uso de substâncias químicas. Infelizmente, Tetch começou a acreditar que ele era a encarnação real do "Chapeleiro Louco" da história Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll. Tetch conseguiu uma loja de chapéus no distrito de Bowery, na Velha Gotham, e continuou a desenvolver sua tecnologia de controle mental enquanto trabalhava lá, e se fixou no conceito de Alice, a protagonista da história. Tetch começou a acreditar que ela estava em algum lugar no mundo real, e que ele tinha que encontrar a verdadeira Alice. Tetch começou a sequestrar jovens mulheres que ele suspeitava serem sua Alice, e as assassinou quando descobriu que não era o caso. Tetch já havia cometido vários crimes antes do incidente na véspera de Natal, incluindo o assassinato de uma garota chamada Stephanie Williams, no entanto, o DPGC não fez uma prisão, já que o Chapeleiro era inteligente o suficiente para cobrir seus rastros.

Tetch logo encontrou outra garota que ele acreditava ser Alice, e a sequestrou, com a intenção de usar a tecnologia de controle mental para devolvê-la ao País das Maravilhas. Por esse estágio, Tetch aprimorou sua tecnologia de controle mental a ponto de poder usá-la para tornar as mentes mais fracas completamente maleáveis às suas sugestões, o que lhe permitiu usar a tecnologia em vários criminosos e formar uma pequena gangue para ajudar em seus esquemas. No entanto, Tetch sentiu que o vigilante conhecido como Batman, que havia surgido em Gotham nos últimos dois anos, poderia fornecer uma vantagem adicional para sua gangue, e assim, ele traçou um plano para capturar o Cavaleiro das Trevas e usá-lo como seu último peão.

Incidente de Arkham OriginsEditar

Bem-vindo ao País das Maravilhas, Batman!
— O Chapeleiro Louco

Pouco depois da meia-noite no dia 25 de Dezembro, Batman entrou na chapelaria de Tetch para impedi-lo de matar Alice. Anteriormente, ele havia sido "convidado" pelo próprio Chapeleiro que enviou homens controlados de sua gangue para chamá-lo a "festa do chá". Após confrontar Tetch, Batman caiu em sua armadilha e ficou preso por seus alucinógenos no "País das Maravilhas". Lá, o Chapeleiro tentou forçá-lo a desistir e entregar sua mente a ele, o que não deu certo. Batman conseguiu sair do controle mental e salvar Alice, prendendo Tetch.

Durante seu tempo em Blackgate, muitos detentos sentiam medo de ficar perto de "alguém louco como Tetch".

Entre Arkham Origins e Arkham AsylumEditar

Tetch foi eventualmente transferido para o Asilo Arkham, uma prisão de reabilitação para os mentalmente instáveis, recém re-aberta por Quincy Sharp. É possível que antes dessa transferência, ele tenha escapado de Blackgate e sido pego novamente pelo Batman.

Sharp, revoltado com os crimes que Jervis cometera, o prendeu no fundo do Asilo Arkham e jurou que nunca mais veria a luz do dia. A mente de Jervis desmoronou no isolamento.

O professor Hugo Strange, um psiquiatra do asilo com planos próprios para assumir o controle de Gotham City, ficou fascinado com o caso de Jervis e estava convencido de que sua tecnologia era a chave para controlar a mente de Sharp, que estava concorrendo a prefeito de Gotham na época. Ele teve estranhas sessões de entrevistas com Jervis, sustentando o pretexto de uma avaliação psiquiátrica simples, mas onde estava realmente tentando fazer com que ele recriasse sua fórmula de controle mental. Strange tentou chantagear Jervis com provas que ele havia descoberto do assassinato de Stephanie Williams e de vários outros. Quando o Chapeleiro começou a desmoronar, ele tentou uma abordagem mais simples. Strange brincou com o amor de chapéus de Tetch e sua obsessão por Alice, a fim de manipulá-lo para desenvolver uma forma ainda mais poderosa de sua tecnologia de controle mental, e usou os prisioneiros mais esquecidos de Arkham como cobaias. A fórmula que Jervis acabou desenvolvendo excederia até mesmo as expectativas mais extravagantes de Strange. O Dr. então, prometendo uma nova "Alice" para Jervis, o convenceu a ajudar a colocar Sharp sob seu controle.

Usando as habilidades de Tetch, Strange começou a drogar e hipnotizar o mentalmente maleável Diretor Quincy Sharp, o deixando na palma de sua mão, assim o convencendo de que ele era o "Espírito de Arkham" cuja missão era destruir todos os internos de o asilo.

O nome de Tetch também apareceu no quadro de pacietes no segundo andar da sala de cirurgia, sugerindo que Strange pode ter operado Jervis (tendo recrutado as habilidades do Dr. Thomas Elliot, um cirurgião habilidoso que trabalhou no asilo) para torná-lo mais obediente (Mulher Gato comentou mais tarde que "Strange realmente fez um número sobre ele"). Strange acabaria por usar a tecnologia do Chapeleiro Louco para criar os Guardas TYGER: todos ex-militares e ex-agentes da SWAT que sofreram uma lavagem cerebral para serem soldados inquestionáveis. Havia também rumores de que Strange também usaria o mesmo método em qualquer prisioneiro de Arkham City que mostrasse potencial, os sequestrando das ruas e os transformando em agentes da TYGER.

Incidente de Arkham AsylumEditar

Quando é hora do chá no País das Maravilhas?
— A charada sobre Tetch

O Coringa queria que Tetch estivesse presente durante o motim no Arkham, como evidenciado por seu nome estar na Lista de convidados do Coringa, ainda assim, o Chapeleiro Louco não estava em lugar nenhum. No entanto, seus pertences pessoais foram posteriormente descobertos na Glasshouse dos Jardins Botânicos pelo Batman.

PersonalidadeEditar

Jervis sempre teve problemas psicológicos desde pequeno. Ele cresceu fascinado com o conto Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll, e começou a acreditar que ele era o próprio Chapeleiro Louco, o personagem do livro. Jervis é obcecado com o livro e sua história, ele tentou entrar no personagem tanto, ao ponto de abrir uma chapelaria, vestir-se de acordo com ele e abandonar todos os seus planos para o futuro (de neurologista) para investir na busca da pessoa que ele acredita ser a reencarnação de Alice, a protagonista do livro.

Jervis acha que ele não foi o único que encarnou um personagem do livro, ele acha que outras pessoas também, e começou sua busca pela Alice, quando ele via que era inútil (e que a menina que ele sequestrou não era Alice), Jervis as matava. Isso o levou ao encontro do vigilante Batman na noite da véspera de Natal. Ele estava com outra garota que achava ser Alice e resolveu chamar o Morcego (que era só um mito em Gotham, mas após vê-lo por câmeras, se fascinou com ele) para uma espécie de "reunião".

O Chapeleiro sempre mexeu com química e alucinógenos, o que lhe deu a vantagem de poder criar drogas que criam na cabeça da vítima o seu "País das Maravilhas". É desconhecido se ele também usa essas drogas, mas ao que parece, ele pode a manipular, semelhante ao Gás do Medo do Espantalho.

AparênciaEditar

Jervis se veste como o personagem do livro Alice no País das Maravilhas, o Chapeleiro Louco. Ele costuma usar um sobre-tudo aberto verde-escuro de couro, calça também verde-escuro, botas e um grande chapéu semelhante ao que o personagem usa. Seus cabelos são grandes e mal cuidados, ele não costuma arrumá-los. Apesar de descritos como ruivos, durante a véspera de Natal, seus cabelos pareciam ser loiros. Sua baixa estatura o torna um alvo fácil para o Batman, que apenas perde para seu controle de mente.

GaleriaEditar

Links externosEditar

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.